segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Na virada do copo

Velho ou novo
tudo recomeça
de novo

se será nova aventura?
como todo velho ano
a dúvida perdura

deuses do além
mais um de tantos anos
agora vem

a galope e destreza
na virada do copo
só não há tristeza

Por Rene Serafim - "Juninho"

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

sábado, 19 de dezembro de 2009

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Foi você


aquele silêncio
gravado sobre a pele
apalpou
a sua mão na minha

o que sobrou foi
cheiro
sabor
textura
de algo inefável

o horizonte ainda não alcança
pois
não há limite
no coração de gelo
que
de tanto calor
transformou-se
rio
nesse silêncio líquido

Por Rene Serafim - "Juninho"

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Quando tudo fica assim


a sombra
me queima
como o sol
que se põe

poema
só queima
quando a palvra
corrói

prosa
não queima
nem mesmo
destrói

e essa poesia?

Por Rene Serafim - "Juninho"

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Doce sabor da cura



se a acidez dessas palavras
corroeu seu sentimento
é porque a solução estava forte

não obstante

daquilo que sobraste
fiz do acre
o meu doce sabor

agora

sei que a poção
não tem receita
nem patente

mas

salvou-me de uma ferida
que aos poucos se fechou
e agora está cicatrizada

desculpe

que a sua ainda esteja aberta
embora eu não tenha nenhuma compaixão
tampouco a cura

Por Rene Serafim - "Juninho"


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009